Revista Literária

domingo, 28 de novembro de 2010

Lamento Carioca

É tão fácil matar,
Um tiro.
Por que não atirar em todos?

Fim.

A paz reinará
O Rio será lindo.
Eu, meu filho e minha mulher
Caminhando na lagoa sem medo

Eu, meu, minha?
Será que tudo é só isso?

Se o seu pai tiver um filho baleado?
Não importa né?
Ah, não, sim, isso sim, mas é culpa dos políticos.

Bandido tem que morrer!
A polícia tem que invadir tudo! Simples.

Difícil é pra mãe do Alemão,
Cria seu filho
Tenta dar o que ela não teve
Agora,
Chora.
Ele quer chorar também
Está com medo
Quer abraçá-la
Não pode

Sabe por quê?
Se ele sair, ele vai morrer
Sabe por quê?
Por que você quer matá-lo
Eu quero matá-lo
Os políticos querem matá-lo
Sabe por quê?
Bandido tem que morrer!

Assassino.

21 comentários:

  1. nossa! muito bom mesmo! é uma pena que a maior parte das pessoas não consigam enxergar todos os ângulos da mesma realidade, mas é sempre bom saber que aquelas que enxergam existem. :)

    ResponderExcluir
  2. Matar será a solução? Num momento de desespero, medo e tentativa de por fim em tudo isso, me parece bem coerente. Porém, se tudo chegou a esse ponto foi pq nenhuma posição integra foi tomada em momento nenhum. Essa semana escutei milhões de pessoas falando que a única forma de sanar isso tudo é tacando uma bomba nas favelas e nos presídios. Pobres, não compram rios de drogas, ricos financiam o sistema. E agora? Matar todos será a solução?

    ResponderExcluir
  3. "Nada deve parecer natural
    Nada deve parecer impossível de mudar."

    Trocar o comando do tráfico pelo das milícias? Mais do mesmo? E os (reais) traficantes: os de colarinho branco?! Mexer com movimentações financeiras e tráfico internacional ninguém quer discutir. É coisa pouca o que existe aqui nas favelas. No final das contas, o que presenciamos é uma tentativa de coerção violenta pelo nível social. Morte aos favelados! Morte aos bandidos; aos bandidos pobres!

    ResponderExcluir
  4. Queremos calar
    o mudo.
    Queremos cegar
    o cego.
    Queremos deixar
    o abandonado.
    Queremos apagar
    o invisível.
    Queremos estuprar
    a mácula.
    Queremos fingir
    Sem máscara.
    Queremos banir
    o exilado.

    Queremos acabar com a vida
    Do morto.

    Meu nome é Bill
    Não tenho sobrenome,
    E você deve saber a razão...
    Ou deveria.
    Minha mãe é minha santinha.
    Meu pai, o meu trabalho.
    Meus irmãos, os meus amigos
    (os poucos que restam).
    Se eu tenho religião?
    Posso até ter,
    Mas meu Deus é o meu trabalho:
    Com ele eu como e bebo água.
    Até sobra uma merreca pra cerveja.
    Escuto funk,
    Rap e pagode.
    Prefiro rap.
    Sou eu.

    Mesmo sem sobrenome,
    Queremos que o Bill
    Perca o único nome.

    Fácil, não?
    Vai ser enterrado
    - se for
    Como um cachorro sarnento.

    Queremos o enterro
    Do indigente.

    Ué, mas ele já não está morto?
    Não, idiota, to falando do outro,
    Aquele ali sem camisa
    Pretinho
    Pobre...

    Morra!

    ResponderExcluir
  5. Triste realidade essa onde bandidos são vistos somente como bandidos e não como seres humanos... Não sei se seria/é solução; não se pode (deve?) matar todos.
    Reestruturação de leis de modo a inibir a ação deles talvez fosse algo que, não necessariamente solucionasse, reduzisse esses índices gritantes de criminalidade. Não sei... Ficamos no talvez.

    ResponderExcluir
  6. Há a necessidade de uma politica coerente e uma justiça séria e dura contra atos de marginais, para evitar e até inibir o surgimento de novos bandidos na sociedade! Pq uma criança quer ser um bandido e não um policial? Pq muitos procuram o lado mais fácil ao invés de trabalhar honradamente? Já me cansei de ver jovens de 15,20 anos matando por 10 reais e outros de mesma idade catando latinhas pelas ruas para sustentar a família!

    http://medicinepractises.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá, meu caro!
    Respeito as suas palavras e ate enxergo como um desabafo. Mas, n acho que matar seja a solução mais apropriada. Só mostra desespero diante de um assunto que sempre gritou e ninguem deu ouvidos e agora que a 'batata assou' eles querem dar uam solução impensada e urgente. O erro vem lá de trás, FATO!
    Um forte abraço, ótimo post!
    www.nicellealmeida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Ótimo post, bem intenso e oportuno. Para muitos a matança é o caminho mais fácil para acabar com o mal, mas talvez não seja...matar é fácil, basta apertar o gatilho, dificil é trabalhar estratégicamente combatendo de forma plausível o crime. Enquanto a população vive em perigo contínuo, muitos "cidadãos" continuam cheirando sua carreirinha de cocaina, ou coisas do gênero, nas festinhas por aí, e financiando o tráfico. Enfim, tudo é muito revoltante.

    abraço,
    www.todososouvidos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. MUDAR ao invés de MATAR. Mas quem disse que MUDAR é o caminho mais fácil? E pior: quem disse que todos querem?....

    ResponderExcluir
  10. Mas será que a poesia carioca não deixou de lado a pobreza e hoje por causa da poesia da bola estão exterminando o povo pobre?

    " é fácil falar de coisas tão belas, de frente pro mar , mas de costas pra favela"

    ResponderExcluir
  11. Excelente poesia crítica, adorei de verdade.

    Sobre a parceria gostei da idéia, como poderias fazer?

    ResponderExcluir
  12. estou saindo da faculdade, mas pela tarde te add para conversarmos melhor, o meu é:

    allanlemos@hotmail.com

    ResponderExcluir
  13. muito bom, gostei do blog.

    http://multitrecos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Bandido bom é bandido morto. Olha o que um bando de babaca com fuzil consegue fazer com a cidade inteira? E nem venham com esse papo de direitos humanos...Cadê os direitos humanos pra defender a população carente, policial e até os moradores das áreas nobres que tbm sofrem com isso?

    www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Guerra é guerra, alguém vive pra matar e alguém mata pra viver.

    ResponderExcluir
  16. Olá! Parabéns pelo seu Blog!
    Já estou lhe seguindo!
    Aproveitando também para divulgar os meus Sites...
    Siga-me também!
    http://www.martas-bgfs.com (Templates personalizados para Blogs)
    http://www.brilhosgifs.com (Gifs para Orkut e enfeites para Blogs)
    Abraços,
    Marta.

    ResponderExcluir
  17. Muito boa sua critica
    mas, é muito fácil falar do bandido que tá lá na comunidade, que a policia sai entrando, matando e tal mas, tem que ver é que é um bando de babaquinha( desculpa o termo mais não encontro outra palavra para descrever)de classe média alta que compra seu baseado pra tirar onda, esses são os verdadeiros responsáveis pela violência constante no Rio. O morador da comunidade em grande maioria e gente honesta e trabalhadora, realmente tem que ser respeitada.Temos que ter uma polícia eficiente e que não seja corrupta.O tráfico tem que ser combatido sim, assim como viciado tem também que responder como quem contribui para o trafico.Bandido bom é bandido morto, até porque se ele tiver que te por na frente dele não vai pensar duas vezes.

    Direitos humanos para quem respeita o ser humano!!
    http://michellyraphael.blogspot.com/
    bjuss!!

    ResponderExcluir
  18. São os excluídos no poder, culturalmente e da forma que pode, a periferia é quem manda hoje em dia (Tropa de Elite, Funk para Classe Média, etc). Resta a almofadada Classe Média fazer isso, ainda que metafóricamente, que escreveu nessa boa poesia.

    abç
    Pobre Esponja

    www.pobresponja.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Muito bom o texto, retrata a realidade das cabeças que adoram generalizar as coisas..
    Mesmo não dando razão pra eles,é muito facil falar de bandido, não foi o delegado que nasceu numa vida sem oportunidades e de repente se encontra em uma situação de sobrevivência, ter que alimentar a familia, essas coisas, sei que apenas uma parte pequena desses bandidos realmente teve uma boa justificativa pra roubar, a verdade é que hoje em dia muitos o fazem é por diversão e como os policiais já estão acostumados com os piores tipos acham que todos são iguais, na verdade não.. alguns até merecem uma segunda chance, alguns conseguem e consertam suas vidas outros não.
    Difícil é saber a quem dar essa oportunidade.

    Pra quem viu o filme "meu nome não é johnny" ai vai uma citação que é mostrada no final do filme que eu concordo e acho linda! rs

    "João Guilherme é a prova viva de que é viável recuperar as pessoas." - Juíza Marilena Soares

    Beijos e Abrçs!

    http://amoreoutrasguerras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Muito bom seu lado político
    Quantas crianças seram necessaria?
    quem irá freiar essa maquina edionda?
    Até Alan

    ResponderExcluir